Cuidados importantes com meios de cultura em seu laboratório de microbiologia

Os meios de cultura requerem cuidados para sua estocagem no laboratório após seu preparo, pois a função de cada um seus constituintes deve ser preservada, a fim de se garantir a obtenção de resultados confiáveis. Estar sempre atento aos rótulos dos meios de cultura deve ser regra básica!  Consultar as quantidades a serem pesadas para o volume que será preparado, o modo de preparo (ferve? não ferve? autoclava? não autoclava?), o pH característico, são cuidados que não podem ser esquecidos jamais!

Assim como na operação dos equipamentos do laboratório, os manuais destes devem ser nossos constantes aliados, os rótulos dos meios de cultura, são nossas fiéis fontes de consulta e orientação!

Sobre como cuidar dos meios de cultura depois que os preparamos em nossos laboratórios, seguem algumas dicas importantes:

 

  • A água utilizada para o preparo de meios de cultura deve ser sempre de boa qualidade: destilada, purificada ou deionizada!
  • Para o preparo de meios de cultura que contém ágar: após pesagem dos pós, água destilada deve ser adicionada e, com bastão de vidro, deve-se proceder a homogeneização. Recomenda-se deixar a solução em repouso por cerca de dez minutos para garantir a hidratação do ágar, e então aquecer até fervura. O tempo indicado para aquecimento e fervura do meio de cultura varia de acordo com o tipo e marca comercial. Portanto, lembremos da regra de ouro: Atenção ao rótulo! A dica mais valiosa no preparo de meios de cultura que contém ágar, sem dúvida, é deixar o pó hidratando os 10 minutos antes do aquecimento! Observe aí no seu laboratório como o meio de cultura vai ficar mais homogêneo, solidificar mais rápido na placa e não vai dar grumos se você seguir esse “conselho”! 
  • Os meios de cultura, depois de preparados, podem ser estocados em geladeira (4-12°C) por até 3 meses, ou à temperatura ambiente (até 25°C) por até 30 dias. Alguns meios, como por exemplo o DRBC, contém substâncias fotossensíveis, e por isso precisam ser acondicionados em frascos âmbar ou estar envoltos papel alumínio para ficarem protegidos da luz.
  • Meios de cultura distribuídos em placas (utilizados em técnicas pour plate): o plaqueamento destes meios deve ser feito dentro de capela de fluxo laminar. Claro que as placas de petri utilizadas devem ser previamente esterilizadas. Depois que o meio for adicionado à placa, é necessário que esta seja mantida entreaberta (com a tampa cobrindo somente sua metade), até que o meio solidifique, assim evita-se a formação de condensado e acúmulo de umidade. Quando o meio estiver sólido, as placas podem ser agrupadas e devem ser envoltas em filmes plásticos, ou acondicionas em sacos plásticos, e armazenadas em geladeira até o momento do uso. Recomenda-se utilizar estas placas em até uma semana.
  • Meios que requerem suplementação: a adição de suplementos aos meios de cultura, quando requerida, deve ser feita com estes a temperaturas em torno de 47 +/- 2°C. Meios de cultura suplementados não devem ser reaquecidos, por isso, a suplementação deve acontecer no momento do plaqueamento.
  • Fusão de ágar: Meios de cultura sólidos não devem ser fundidos mais de uma vez, pois o superaquecimento destes pode provocar alterações de pH e em seus constituintes. Uma boa “tática” é fracionar em frascos menores e utilizar parte do  preparado no mesmo dia, mantendo a quantidade a ser usada líquida (46-48°C, por até 4 horas), e o que sobrar, guardar, sob refrigeração ou à temperatura ambiente, conforme já mencionamos, refundido-o apenas mais uma vez, quando for necessário.
  • Quando adicionar o meio de cultura às placas de petri, evite agitá-lo com vigor, pois as bolhas que se formar dificultam a leitura das colônias, e também podem interferir no desenvolvimento dos microrganismos. 

 

Autor: Ana Carolina Castanheira - BRQuality Laboratório